A árdua tarefa de ser Chefe

30/07/2018

O que lhe chamou atenção nesse título? Você parou para ler o texto porque achou interessante alguém utilizar a palavra chefe em um contexto organizacional atual onde a palavra é LÍDER ou porque você acha realmente difícil ser um "chefe"?

Pois é, SER LÍDER não é simplesmente ser chefe.

Mas para aquelas pessoas que assumem o papel de chefe, também não deve ser uma tarefa fácil. Na verdade, é até mais árduo que ser líder. É uma constante busca de firmação da sua posição. É árduo, porque dia após dia, procura provar que manda. E a constante busca da firmação do cargo, cansa.

É importante diferenciar os papeis de ser um chefe (comum nas organizações) ou ser um Líder. O chefe é aquele que assume o papel de autoritário e que leva seus subordinados aos meros resultados e objetivos da organização. O Líder é aquele que desenvolve habilidade de exercer influência e ser influenciado pelo grupo através de relações interpessoais. Assim, o Líder, muito mais que um Chefe, independente de ser indicado, ou aclamado Líder, é reconhecido pelo seu grupo (torna-se um exemplo para outros, tem seguidores, tem simpatizantes, tem colaboradores) o Chefe é imposto por força de circunstâncias (ele é o Chefe). O cargo está no crachá ou na porta da sua sala.

O líder é reconhecido pelos liderados pela sua postura, seu exemplo e passa a ser admirado pelas pessoas. Não necessariamente o líder tem isso escrito no crachá; a liderança é exercida de maneira natural e aceita pelas outras pessoas. Por vezes, o fato de ter o cargo de gerente no crachá, não torna aquele profissional o líder do grupo. E, pessoas que não têm cargo de liderança, porém a exercem sobre as outras pessoas, tornando-se referência pelos indivíduos para dirimir dúvidas, ou fazer a velha pergunta: "Como eu faço isso?" Sempre encontramos nas empresas essas pessoas, silenciosas, acessíveis; são líderes que o grupo reconhece como tal. São influenciadores das pessoas.

O bom líder procura/identifica essas pessoas em sua equipe e traz com inteligência para o seu lado. Poderá ser um fator chave de sucesso. O contrário poderá trazer insucesso na liderança sobre outras pessoas.

No entanto os chefes têm enormes dificuldades em liderar. E por terem dificuldade em se colocarem como figuras de líderes, muitas vezes procuram impor a sua posição hierárquica, sejam pelas suas atitudes, sejam pelas suas palavras.

Algumas frases usuais de chefes que utilizam o poder do cargo para impor sua autoridade:

"Quem manda aqui sou eu!"

Essa é uma das mais famosas frases de chefes autocráticos, inseguros e, por meio do poder legal que possuem, impõem sua posição. Geralmente, não têm firmeza e não conseguem encarar quem não têm medo deles. Mudam o tom de voz, estremecem e até gaguejam quando a pessoa que lhe confronta não se intimida com sua posição.

"Quem não estiver feliz, a porta da rua está bem ali"

Uma maneira clara de intimidação às pessoas que trabalham com esse tipo de chefia. Não conseguem demonstrar liderança, não conseguem desenvolver equipes que trabalhem por e com seus objetivos comuns e por isso, usam a intimidação. No fundo, têm medo de seus liderados.

"Vocês não sabem quem eu tenho por trás" ou "Vocês não sabem com quem estão falando"

Nem é preciso saber. Pessoas com esse perfil precisam, desesperadamente, mostrar poder. E procuram demonstrar isso o tempo todo, julgando que são superiores por ocuparem um cargo de chefia. São presunçosos, arrogantes, mas altamente inseguros. Utilizam frequentemente ameaças e tentam se colocar em uma posição de superioridade, não só pelo cargo, mas pelos relacionamentos que julga manter com as pessoas que o colocaram nessa posição. Geralmente essas pessoas são colocadas em uma determinada posição, não conquistaram por sua capacidade. É fácil identificar esse tipo de perfil de chefe: a sala está disposta de uma maneira que sempre se coloque em uma posição de superioridade para as pessoas que entram, há papel sobre sua mesa, mais do que deveria, para demonstrar ocupação excessiva, já que é uma pessoa com muito trabalho e assina decisões (precisa demonstrar para provar sua autoridade). Costumam vigiar seus subordinados, como um capataz. Sua sala tem a porta sempre fechada, gavetas trancadas e esconde senhas. Demonstra toda uma postura de alguém que tem medo de pessoas que possam confrontar sua autoridade.

Outra frase e postura é a expressão:

"Tenho que montar a minha equipe, pois não confio nessa equipe"

Chefes com perfis autocráticos tratam logo de substituir as pessoas que estavam sob a liderança de outra pessoa. Por se sentirem inseguros, uma das primeiras ações é a demissão daquelas pessoas que, por alguma razão, faz com que se sintam ameaçados. Substituindo pessoas chaves, demonstram seu poder e deixam claro quem é que manda. Geralmente, procurará se cercar de pessoas que lhe puxem o saco, que não questionam suas decisões e cumprem serenamente suas ordens e, claro, o agradem constantemente.

É bem mais comum encontrar esse tipo de relacionamento nas empresas, entre superiores e subordinados, do que especificamente de liderança. A liderança é uma capacidade grande de lidar com as pessoas de diferentes personalidades e tirar o melhor de cada pessoa. Líderes são comprometidos com as pessoas da sua equipe e com a organização, veem os resultados cooperados de uma maneira macro como fundamentais e acima da simples relação, autoridade e poder. É mais fácil e comum, apenas dar ordens. E claro, reclamar do pouco envolvimento das pessoas com a organização. Acusar as pessoas e encontrar culpados, faz o Chefe ser Chefe e jamais ser Líder.

Prof. Dr. Adm. Ronald Pires da Silva, Doutor em Administração